viagens

Sobre viajar

November 19, 2014
2014-03-17 11.22.01 1

Nesse fim de ano estarei realizando um dos meus maiores desejos: VIAJAR!
É, eu nunca viajei. Assim, viagem longa, viagem de passeio, viagem programada, viagem pra fora do país, nunca. Mas pro ano novo decidi aproveitar minhas férias coletivas, e viajar. Consegui a companhia, o resto foi só correr atrás e programar.

O roteiro? Buenos Aires. Quase todo mundo que conheço já foi pra lá, mas é uma viagem que tô na cabeça já faz 4 anos, e convenhamos, é barato. Não queria ir pra lá no calor, mas é o que tem, então lá vamos nós.
Eu, minha irmã mais velha e o meu melhor amigo, 5 dias e 4 noites nessa cidade que tanto imaginei ir. Já temos passagem e hotel, agora só falta o roteiro, que já estou organizando, e caramba! Dá trabalho.

Como é a minha primeira viagem assim, estou lendo muito nos blogs por aí (obrigada blogosfera!), e as dicas são ótimas. Acho que é uma vantagem todo mundo já ter ido pra lá, então dá pra saber de tudo antes.
Mas eu, como louca angustiada imediatista, já tenho 5 mil lugares anotados, e é óbvio que não vai dar pra ver tudo. Negócio é organizar e tentar curtir o máximo possível do que a cidade tem pra oferecer.

Aí, como qualquer viajante iniciante, aquele momento que você pensa: como diabos vou planejar essa viagem?
Melhor dica é: leia. Leia sobre experiências alheias. Converse com pessoas que você sabe que já foram. Leia sobre como fazer com a grana, dólares? Pesos? Reais? Leia sobre o hotel, leia o mapa da cidade pra ver a distância. Fez um pacote? Veja detalhadamente tudo que inclui no mesmo. Depois de ler muito, você já vai ter muita ideia do que quer fazer pela cidade, e como fazer.

Dica 1: listas!

roteiro em andamento <3 evernote

roteiro em andamento

Pra organizar meu roteiro estou separando por bairros, depois por categoria (compras, passeio, comida), e nisso em cada local adiciono informações relevantes sobre o mesmo, incluindo horários e dias de atendimento, e valores.
Tem nada pior que você querer fazer algo, chegar e o lugar não estar aberto (e é o que mais achei em posts sobre buenos aires, gente que tentou fazer coisas mas não pegou aberto, e perdeu). Como só tenho 5 dias, um desses sendo ano novo, e o outro feriado (1/01), são detalhes muito importantes.
Depois que eu terminar essa nada pequena lista, vou ver os possíveis, separar uns 2 ou 3 bairros por dia, conforme for possível. Não sou expert no assunto, mas acho que vai funcionar.

Dica 2: google maps me abençoe!

abençoa mapa estrelado

abençoa mapa estrelado

Estou usando o mapa pra tentar conhecer um pouco a cidade, afinal sou dessas que se perde até com GPS, e também pra marcar os lugares que tenho vontade de ir, ou úteis, como McDonaldsBurger KingSubway (alô economia fast food). Daí com essa tecnologia maravilhosa dos dias atuais, você tá lá andando perdida e/ou cansada nas ruas, abre o maps e BUM! Starbuck à 15 metros.
Foursquare tb é útil. Salve seus locais numa to-do list, e sempre que você estiver perto ele dá uma apitada. Modernidade a nosso favor né gente.

inspiração

Instagram – Cidades

October 30, 2014
2014-03-15 06.07.30 1

Se tem uma coisa que eu gosto é seguir perfis de instagram bonitos. Seja de gatos, seja de design, seja de paisagens, ou apenas fotos bonitas. Pra inspiração ou pra admirar, a lista é enorme. E hoje vou mostrar pra vocês alguns desses meus favoritos, pra ser o de vocês também.
E o tema de hoje é: perfis com foto de cidades/arquitetura.

@cimkedi

 

The Landlord pt.3 (a.k.a. Somebody Call 911, Please!)

A photo posted by Yener Torun (@cimkedi) on

 

The Applicant pt.2 (Strawberry Jam) A photo posted by Yener Torun (@cimkedi) on

 

@passionpassport

 

 

@gsadae

 

A photo posted by @gsadae on

 

A photo posted by @gsadae on

 

@garethpon

 

 

@dannyzappa

 

Swaying structures #MyDubaiTrip #PeetaPlanet

A photo posted by Danny Zappa (@dannyzappa) on


E qual os seus favoritos? Conta aí!
Me siga no instagram @paulacipriani

rotaroots

Adoção consciente e Guarda Responsável

October 15, 2014

Thomas e Marie

Quem me segue em alguma rede social já tem uma boa noção que amo gatos. Não é por pouco que até pessoas que mal conheço me mandam qualquer link de gatos internet a fora, sou crazy cat lady com orgulho. Também amo cachorros, já tive alguns, e na casa da minha mãe atualmente tem dois, mas gatos combinam mais com meu estilo (preguiçoso) de vida.

Na vida já tive vários gatos e cachorros, atualmente tenho dois, os primeiros que crio sozinha, e os dois adotados.

Peguei o Thomas com dois meses quando morava com meu ex, logo em seguida terminamos e Thomas foi morar comigo, super grudado em mim. Thomas e seus irmãos tinham sido abandonados recém nascidos e nunca mamaram na mãe. Uma protetora de animais da cidade estava cuidando deles em uma casa só dos gatos, tinham dois ainda quando fomos ver: Thomas e seu irmão. Na hora de escolher um não foi difícil. Enquanto seu irmão não parava de brincar com um gato maior, Thomas quietinho no nosso colo. No mesmo dia levamos aquele magrelo barrigudo pra casa, uns dois meses depois mudei e ficamos só nós dois. Não é por pouco que ele é grudado em mim e tem ciúme, haha.

A Marie eu adotei de uma conhecida que não podia mais ficar com a gata porque a mãe não queria. Marie tinha 5 meses, albina e surda, e com personalidade forte (lê-se gosta de subir em cima de tudo que der e não der, derrubar e quebrar coisas). Foi um desafio novo, nunca tinha tido um bicho surdo, mas em alguns meses deu pra sentir uma grande diferença na bichinha. Aquela gata que não deixava ninguém chegar perto agora pede carinho pra quem entrar na porta. Continua subindo em cima de tudo, derrubando e quebrando coisas, e sendo a gata mais louca que vi na minha vida. Mas é a minha gata dela. E só de pensar o que podia ter acontecido com ela se fosse pra mão de outra pessoa que só queria um bicho bonito (branca, peluda, de olho azul, todo mundo se apaixona).

E ter bicho é isso, é responsabilidade, é assumir.
Não querer porque é bonito. Dar pra alguém quando cansar da bagunça sem tentar ensinar nada. Dar um fim se ficar doente porque não quer gastar dinheiro com isso e dá muito trabalho. Abandonar em algum lugar longe quando ficar velho. Abandonar quando tiver filhos.

Além de ser a favor da adoção sou grande entusiasta da castração. São mil motivos pra você querer fazer isso com seu bicho, seja gato, cachorro, fêmea, macho.
O bicho no cio foge. Se preso, fica super estressado e nervoso. Se engravida, boa parte desses filhotes são abandonados. Fora toda a parte de doenças que o bicho adquire por conta de não ser castrado, cio, ter filhotes, etc. Tenho meus dois castrados desde filhotes, e ajudou muito a ter bichinhos comportados que não fogem.
Já morei em casa e deixava eles passear, e todo ano levo eles pra casa da minha mãe, onde eles ficam soltos passeando livremente, sem fugir.

Entendo quem compra bicho de raça, porque assim você consegue prever qual o tamanho, personalidade, possíveis doenças (apesar de que os sem raça tem um número bem menor de doenças genéticas), mas a adoção é importante, e principalmente a guarda responsável. Independente de como você terá seu bichinho, lembre-se que não é um brinquedo, e sim uma vida pra ser cuidada e amada.

E caso você não queira adotar, você pode ajudar os bichinhos. Doe, leve alimentos, participe de eventos que promovam a adoção e cuidado de animais abandonados.
Patinhas são amor <3

Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.

blog

Olá mundo!

September 17, 2014

the view from the afternoon

Depois de promessas de não abandonar o blog, cometi suicídio virtual ao esquecer totalmente dele, incluindo o pagamento da hospedagem. Resultado? Perdi tudo que tinha de dados, fuén.
Bora recomeçar?

Por enquanto vou ter essa cara aí, mas tô cheia dos objetivos e promessas (de novo). A alma de blogueira since 2003 não vai embora. A vontade de escrever, de fazer listas, de provar que em casa de ferreiro o espeto é de ferro (!) fazendo meu site bonitinho como fui aprendendo durante anos, graças a carreira bloguistica.

E pensar em todos os pequenos acontecimentos na minha vida, que me levaram até onde estou hoje, o primeiro foi esse: começar um blog. Essa vontade e curiosidade que me fez conhecer um pouquinho de nada de código, photoshop, etc., e que acabou virando carreira.

Follow my blog with Bloglovin